A JF Guedes é uma empresa de aquisição de recebíveis comerciais diretamente de originadores (cedentes) cujo objetivo é lastrear títulos de créditos emitidos (debêntures/certificados). O originador inicia o processo ao realizar uma venda a prazo e, em seguida, transfere os créditos relativos a essa venda para o emissor (securitizadora). Este, por sua vez, utiliza os direitos creditórios como lastro dos títulos emitidos. No sentido inverso, os recursos provenientes dos investidores, detentores dos títulos, são repassados para o emissor e deste para o originador, onde são utilizados das mais diversas formas, desde reestruturação de passivos, capital de giro e até ampliação de capacidade produtiva.

Prestadores de serviços envolvidos

Além do originador, do emissor e do possível investidor, a presença de determinados agentes externos, ou intervenientes, é essencial para o bom funcionamento de uma operação estruturada. Os intervenientes mais comuns são: os agentes fiduciários, as agências de ratings e os auditores.

Agentes fiduciários: também conhecidos como trustees, são responsáveis por supervisionar todo o processo em favor dos detentores dos títulos, podendo até mesmo declarar vencimento antecipado da operação. Seus poderes variam de acordo com que é estabelecido na escritura de emissão e nos documentos de garantia.

Agências de ratings: é necessária somente para emissões publicas e têm como principal função oferecer aos investidores uma avaliação imparcial e especializada do risco de crédito da operação através da divulgação de uma nota. Para isso analisam a qualidade da carteira de recebíveis e seu histórico, a situação econômica e financeira dos originadores desses créditos e a estrutura de garantias da operação (presença de auditor, overcollateral, conta vinculada, etc.), bem como os documentos que definem os poderes e funções do agente fiduciário (somente para emissões publicas).

Auditores: como o próprio nome diz, são incumbidos de auditar os relatórios emitidos pelos originadores, pelo emissor e pela instituição responsável pela cobrança dos créditos cedidos. Determinadas operações incluem também auditores de processos de produção. Embora envolva maiores custos fixos relativos à sua estruturação, uma operação de securitização de recebíveis pode ser uma boa alternativa para captar recursos a uma taxa de juros mais amena. Além disso, a colocação dos títulos pode ser mais fácil do que a obtenção de uma linha de crédito convencional, por envolver maior número de credores. Por fim, cabe ressaltar que a maior facilidade de revenda do papel antes do seu vencimento no mercado secundário favorece operações de longo prazo.

OBS. No caso de debêntures privadas tens apenas, por determinação legal, a participação do agente fiduciário e da auditoria ficando excluída a agência de rating em função da não publicidade na colocação das debêntures.

 

Fonte: Portal Factor.